29 de out de 2009

Alunos chegam atrasados e têm de sair antes do término da aula

Alunos do Isca Faculdades são pressionados pelos motoristas e colegas de transporte fretado a saírem 15min mais cedo

por Juan Franscesco Piva

Os alunos que utilizam o transporte fretado para se locomoverem até o Isca Faculdades reclamam da pressão por parte dos motoristas e de outros colegas de van ou ônibus que os obrigam a sair antes do término de suas aulas. Os estudantes devem ter aula até às 22h45, porém, têm de sair 15 minutos antes deste horário. Caso contrário, podem ser deixados para trás.

“O que me impede às vezes de ter um melhor rendimento é saber que tenho horário para voltar. A van sai às 22h30 e se algum professor demora a terminar a aula, fico muito preocupada, com medo de me deixarem na instituição, pois isso já aconteceu com outras pessoas, desviando minha atenção nos minutos finais da aula”, afirma a auxiliar administrativa Cíntia Renata Ferreira da Silva, 22, que cursa Jornalismo.

O tecnólogo em eletrônica, Márcio Aureliano Piniano Procaccini, 29, que cursa Engenharia Elétrica, considera que não é um prejuízo financeiro considerável sair 15 minutos antes do término da aula. Embora ache errado quem passa por problemas com os motoristas. Para ele, essas pessoas deveriam procurar outras opções, pois se trata de um serviço básico na instrução e formação do aluno.

Cíntia avalia essa situação como falta de profissionalismo dos motoristas, uma vez que eles têm conhecimento de que é necessário ficar até o final da aula. “A pressão também existe por parte de outros colegas de van, que saem mais cedo, por algum motivo, e não querem esperar os que se atrasam um pouco mais”, ressalta a estudante.

“No meu caso, a pressão é mais dos outros alunos da van. Se você acaba chegando por último, mesmo até às 22h45, que é o nosso horário, os alunos reclamam. Porém, eu tenho amigos que o motorista estipulou o horário de saída às 22h30 e se não estiverem na van ele vai embora mesmo assim, diz o assessor Diego Rodrigo dos Santos, 21, que cursa Jornalismo.

O publicitário e professor na universidade, Victor Kraide Corte Real, 33, considera lamentável essa situação. “Os alunos deveriam lutar mais por seus direitos, exigindo que os transportes fretados aguardem o horário efetivo do término das aulas para partirem”, declara.

Mais reclamações

Outra situação que provoca discussão no campus é quanto ao horário de chegado na faculdade, pois os alunos do transporte fretado frequentemente sofrem por problemas de atraso. Corte Real diz ser compreensivo com o caso, ajudando os alunos que o procuram, informando-o sobre esta dificuldade.

“Em minhas aulas o que mais levo em conta é o resultado final na assimilação do conteúdo, por isso, acho viável compensar eventuais atrasos com a participação e com o desempenho satisfatório dos alunos nos trabalhos e avaliações”, lembra o professor.

O motorista Edinaldo Mariano dos Santos, 39, diz que seu atraso é justificado pelo trânsito, pois faz o trajeto Campinas-Limeira e sofre no horário de pico da Rodovia Anhanguera. Ele afirma que não tem como mentir, já que o tacógrafo de seu ônibus informa o horário de saída e chegada de todos os seus destinos.

Quando indagado sobre o horário de partida da faculdade, Santos responde que sair às 22h30 é uma determinação da empresa para a qual presta serviços. “Não é meu objetivo deixar o aluno para trás, se ele justificar até posso esperar um pouco mais, o que não pode é ficar enrolando, batendo papo, por exemplo”, manifesta.

A diretora do Isca Faculdades, Rosely Berwerth Pereira, 50, afirma que os motoristas dos fretados são alertados a esperarem os alunos até o final da aula. No entanto, a orientação não é seguida e a revolta dos alunos só vem crescendo nos últimos anos.

Nenhum comentário: