25 de mar de 2010

Barqueata une comunidade e autoridades em prol de represa

Em comemoração ao Dia Mundial da Água, evento reúne cerca de 600 pessoas na sede do Barco Escola

por Juan Piva

A Associação Barco Escola da Natureza recebeu, em sua sede, cerca de 600 visitantes e 40 embarcações na 1ª Barqueata Pró-Represa, realizada no último sábado, 20 de março, em comemoração ao Dia Mundial da Água.

O objetivo do evento foi conscientizar a comunidade e as autoridades dos problemas relacionados à poluição do Reservatório do Salto Grande, cobrando investimentos e maiores cuidados com as águas, que foram cartões postais da cidade de Americana na década de 70.

A Barqueata foi organizada pelo Iate Clube de Campinas, pelo Iate Clube de Americana e pela Comunidade Sagrada Família, contando também com o apoio da Prefeitura de Americana e do Barco Escola.

O encontro reuniu barcos, lanchas, jet skis, veleiros, caiaques, além da chalana da associação, que levou as autoridades. As embarcações saíram da Praia dos Namorados às 11h com destino à Praia Azul, retornando, em seguida, ao local de partida.

A Banda CO2 Zero ficou encarregada de animar os visitantes com músicas de rock parodiadas, voltadas a ações ecologicamente corretas. O interessante é que o próprio público fazia com que o som não parasse. Isso porque a energia para ligar os instrumentos musicais era viabilizada ao se pedalarem duas bicicletas ergométricas colocadas em frente ao palco.

O coquetel de abertura do evento teve início às 10h e contou com a participação do prefeito de Americana, Diego De Nadai (PSDB), do secretário de Meio Ambiente de Americana, Jonas Santarosa e do secretário de Meio Ambiente de Paulínia, Ricardo Ferro.

Segundo o prefeito, “ações como a da Barqueata revelam a importância das águas da represa quanto à disponibilidade hídrica e os cuidados que devem ser tomados em relação ao despejo de esgoto”. Em meio ao evento, De Nadai também revelou que pediu ao ministro do Turismo, Luis Eduardo Pereira Barreto Filho, R$ 5,5 milhões para a revitalização da Orla da Praia do Namorados.

Recuperação

“Seria bom se pudéssemos ver a orla limpa novamente, com água para beber, peixes, além de uma grande opção de turismo, como foi na década de 70”, lembra o conselheiro da Comunidade Sagrada Família, Antonio Sérgio Leite de Camargo.

Todo esforço em conjunto é válido para melhorar as condições da água do Reservatório do Salto Grande. Por esse motivo, estamos participando da Barqueata”, diz o sargento Edemilson Carlos Stoque, comandante da base da Polícia Ambiental em Americana.

Segundo o diretor do Iate Clube de Campinas, Júlio Sandroni, o clube teve, no passado, cerca de mil barcos de propriedade de seus associados. “Com a vinda dos aguapés, muitos moradores foram embora e o Iate entrou em crise. A nova diretoria vai lutar pela recuperação do local”, afirma Sandroni.

“Juntamente com as autoridades públicas, pretendemos fazer um manejo consistente dos vegetais que estão se proliferando na água e tratar todo o esgoto que é descartado na represa”, diz o diretor do Iate Clube de Americana, Vitor Coelho.

Para o presidente do Barco Escola, João Carlos Pinto, o mais importante é a união do primeiro, segundo e terceiro setores em prol do Reservatório do Salto Grande. “O Barco Escola estará sempre à disposição para lutar pela qualidade da nossa água”, afirma.

Crédito da foto: Juan Piva

Economia Solidária é tema de Campanha da Fraternidade

por Diego Rodrigo

As 64 paróquias da Diocese de Limeira realizam a Campanha da Fraternidade desse ano, que aborda o tema “Economia e Vida” com o lema “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”. A campanha nesse ano é ecumênica, apoiada pelo Conselho Nacional das Igrejas Cristãs.

Neste domingo, dia 28 de março, os católicos de todo o Brasil participarão da Coleta Nacional da Solidariedade para apoiar projetos sociais que provam uma economia solidária.

“A Campanha da Fraternidade favorece a conversão social, eclesial, comunitária e pessoal”, afirmou o assessor diocesano para campanhas, padre Leandro Ricardo.

Anualmente, a Igreja Católica, durante o período da Quaresma – 40 dias que antecedem a Páscoa, realiza a Campanha da Fraternidade com um tema de relevância social, a fim de propor uma reflexão nas igrejas que promova uma mudança de mentalidade e comportamento.

Segundo Ricardo, o objetivo da campanha é denunciar a perversidade de todo modelo econômico que vise, em primeiro lugar, o lucro. “Queremos educar para a prática de uma economia de solidariedade, além de conclamar toda a sociedade para ações sociais e políticas que levem a uma economia de solidariedade”, afirma.

Escolhido há dois anos, o tema está sendo debatido num contexto de crise mundial financeira, deflagrada no final de 2008, e de eleições. No centro das reflexões propostas pelas igrejas está a concepção de uma economia a serviço da vida, no respeito à dignidade da pessoa humana e ao planeta Terra.

“Não vamos apresentar um novo modelo e derrubar o que está aí, mas queremos, com esse tema, dar mais razão à pessoa do que ao econômico”, completou Ricardo.

“Estamos refletindo a temática da Campanha da Fraternidade nas famílias, nos encontros de catequese, nos círculos bíblicos e nas missas”, afirmou a coordenadora do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia São Francisco de Assis de Araras, Lourdes Dal Posso.

Segundo ela, as crianças e os jovens estão sendo incentivados à prática da partilha e da solidariedade através de arrecadações de alimentos, roupas e donativos.

O membro da Comissão Diocesana para Campanhas, Carlos Orlandin, afirmou que a Coleta Nacional da Solidariedade é resultado do jejum que os católicos praticaram durante a quaresma. “Todo e qualquer sistema econômico deve estar a serviço da vida e não somente dos lucros. Por isso, como gesto concreto da quaresma, participamos dessa coleta”, disse.

Da coleta nacional, 40% das doações serão destinadas ao FES (Fundo Ecumênico de Solidariedade) que, juntamente com a Cáritas Brasileira e a Fundação Luterana de Diaconia, apoiarão iniciativas de desenvolvimento de uma economia fundada na solidariedade, com práticas de cooperação entre as pessoas e de convivência harmoniosa com a Terra.

3° Festival Paulista de Circo espera 50 mil pessoas

Com ampliação dos espetáculos e da infraestrutura, organização do evento espera aumento do público em Limeira e região


por Thayla Ramos

O 3º Festival Paulista de Circo ocorrerá de 7 a 11 de abril em Limeira. É a terceira vez que a cidade é escolhida como sede estadual do evento, realizado desde 2008.

O festival reunirá os diversos grupos e artistas circenses, praticantes das mais variadas linguagens. Serão cinco dias de espetáculos, passando por números de rua, brincadeiras, oficinas e atividades de recreação abertos ao público.

O objetivo é estimular o intercâmbio entre os diferentes grupos circenses da capital e de outras cidades do estado, possibilitando a troca de experiências e a formação profissional de artistas mais jovens.

Joana Giannella, representante da Secretaria de Estado da Cultura, explica que a expectativa para a 3ª edição é grande, pois haverá um aumento na infraestrutura do local e no número de espetáculos. “Estimamos atrair um público de 50 mil pessoas, superior ao do ano passado, que foi de 34 mil”, afirma ela.

Além disso, Joana conta que haverá mais espaço para oficinas e atividades, destinado a entidades e escolas municipais.

O evento é promovido pela Secretaria de Estado da Cultura, com co-produção da APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte) e parceria com a Cooperativa Paulista de Circo e Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria Municipal da Cultura.

O secretário da Cultura de Limeira, Adalberto Mansur, ressaltou a parceria do município com o estado. “Recebemos do prefeito Silvio Félix todo apoio para que essa união com o governo estadual seja aprimorada”, afirmou Mansur. Esse ano, além da estrutura, Limeira colaborará também com profissionais da área da cultura.

A montagem do espaço que abrigará a Cidade do Circo, na antiga Hípica, já teve início essa semana. Serão três tendas de espetáculos, que funcionarão a partir das 11 horas de quinta-feira a domingo – no dia 7, quarta-feira, a abertura será à noite.

A programação completa do festival e mais informações sobre o evento podem ser obtidas na Secretaria Municipal da Cultura (Largo da Boa Morte, 11, Centro – Limeira/SP) ou através do blog
http://www.culturalimeira.blogspot.com/