12 de nov de 2009

Pastoral da Criança atende famílias em bairros carentes de Limeira

por Gerson Américo

A Pastoral da Criança, em Limeira, é composta por dez paróquias e 25 comunidades, que atuam com a dedicação de 256 voluntários. O objetivo é proporcionar qualidade de vida, educação e saúde para as crianças e gestantes da cidade.

Os líderes comunitários são, na maioria, mulheres, que vivem nas próprias comunidades e orientam as mães, gestantes e as famílias sobre como cuidar bem da criança com técnicas acessíveis de ações básicas, além de estimular os laços familiares e comunitários.

A Pastoral da Criança é uma organização comunitária de atuação nacional, que tem seu trabalho baseado na solidariedade para a preservação da vida das crianças. É uma rede formada por pessoas que trabalham voluntariamente no combate à desnutrição e à mortalidade infantil.

Maria José Pereira, 52, dona de casa, é coordenadora da pastoral do bairro Parque Nossa Senhora das Dores há mais de 14 anos. Segundo ela, as crianças com a saúde em risco merecem uma atenção especial e são monitoradas de perto com o controle de peso, tamanho e alimentação.

Mariza Maria da Silva, 53, diarista, trabalha na pastoral como cozinheira nas suas horas vagas. Para ela, o trabalho realizado é muito importante para o desenvolvimento das crianças, pois “com uma boa alimentação e orientações adequadas, os resultados aparecem naturalmente”. Segundo ela, em alguns casos, os próprios médicos recomendam que as mães incluam as crianças no acompanhamento da pastoral.

A dona de casa Mayara Rodrigues Barbosa, 35, trabalha voluntariamente na pastoral, na brinquedoteca. Para ela, o entretenimento ajuda as crianças tanto na saúde física quanto mental. Isso ocorre enquanto os pais participam de palestras dadas por médicos e especialistas de saúde. “Com a união de cada um, trabalhando na sua área, sempre iremos alcançar nossos objetivos”, declara.

Célia Maria, 45, empregada doméstica, trabalha na pastoral com o controle de peso. Ela diz que muitas crianças se alimentam mal dentro de casa, devido a esse fato, acabam sofrendo com a desnutrição. Para ela, a alimentação fornecida pela pastoral é muito importante na recuperação de crianças carentes. “Não existe nenhuma recompensa maior do que salvar uma vida”, diz ela.

Andréia Almeida Neves, 37, dona de casa, tem uma filha de três anos e, desde a gestação, é acompanhada pela pastoral. “É muito importante para as mães, principalmente quando se tem o primeiro filho, pois as líderes orientam sobre a maneira correta de agir em algumas situações”, afirma. “É importante um acompanhamento nos primeiros anos de vida da criança”.

Nenhum comentário: