4 de nov de 2009

Editores da Gazeta e Jornal de Limeira dão entrevista a alunos de jornalismo

Exercício realizado em sala de aula prepara os alunos para situações do mercado de trabalho

por Carlos Giannoni

Com o objetivo de proporcionar a experiência de uma entrevista coletiva, os alunos do quarto semestre de jornalismo do ISCA Faculdades na disciplina redação para jornalismo, entrevistaram no último dia 7, o editor de variedades do Jornal de Limeira, Alex Contin e o editor-chefe do jornal Gazeta de Limeira, Rafael Sereno.

Num clima informal, os editores, ex-alunos de jornalismo da faculdade, falaram sobre as experiências, dificuldades e desafios que enfrentam diariamente e de temas como: A relação do jornalismo com o setor publicitário, a relação do jornalismo com as fontes, ética no jornalismo, credibilidade e jornalismo na internet.

Ética

Sereno diz que a ética deve ser constante na conduta do jornalista, e que o profissional deve zelar muito por ela, para que não perca a credibilidade. “Jornalismo não é feito sozinho. Primeiro é preciso ter ética com os colegas de trabalho”, acrescenta o editor.
“Ética atrai fontes, confiança e credibilidade” complementa Contin

Fontes

Quando o assunto são as fontes, um dos principais elementos para a produção jornalística, Sereno define: “Jornalismo é construir”. Diz ainda que a construção da relação entre repórter e fonte é essencial, e que quando ela passa a confiar no trabalho do jornalista os papéis se invertem, os procurando ao invés do contrário.

O editor de variedades do Jornal de Limeira deu uma dica aos alunos para ajuda-los na produção de suas matérias, que é procurar boas fontes nas universidades, nos autores de trabalhos científicos de graduação, mestrado e doutorado.

Jornalismo X Publicidade

A interferência do setor publicitário nas redações dos jornais é um problema que os editores enfrentam com freqüência em seus respectivos jornais.

Contin diz que a maior renda do Jornal de Limeira vem dos anunciantes e que os famosos “favores” acontecem. “É uma situação delicada, mas o agrado aos clientes é necessário, mas é preciso ter cuidado” diz. O Jornal de Limeira tem uma área específica para isso, chamada Livre Iniciativa.

Segundo o editor-chefe da Gazeta de Limeira, a influência publicitária é grande, mas ele tenta contornar a situação. “Pegamos a publicidade e tentamos torná-la uma pauta jornalística”. Mas explica que nem sempre isso é possível e que já se negou várias vezes a ceder às exigências do setor publicitário.

Jornalismo na internet

O jornalismo na internet é uma realidade e vem se aprimorando cada vez mais, sendo um veículo eficiente para noticiar o Hard News quase que em tempo real.

Segundo Sereno, devido à rapidez da internet, é comum a apuração dos fatos não ser completa. “A pressa de escrever não pode vir primeiro que a apuração. A informação precisa ser completa” diz.

Avalia também que a internet é um campo de liberdade, mas que ainda não é fonte de total credibilidade e que referências de fonte são importantes. A informação contida no “Balaio do Kotscho” é muito mais confiável no que de um blog de autor desconhecido, citou.

Contin diz que o jornalismo na internet já faz parte do dia a dia do repórter e que o domínio das novas tecnologias é essencial. “O jornalista tem que acompanhar os avanços tecnológicos, se não vai ficar para trás no mercado de trabalho”.

Contin conclui dizendo que o jornalista está aprendendo a todo momento e que o bom trabalho jornalístico é o resultado de saber captar com qualidade as informações e passá-las com ética e imparcialidade.

Já para o editor da Gazeta de Limeira, o jornalista deve adequar sua linguagem de acordo com o veículo em que trabalha. “É fundamental pensar no seu leitor na hora de redigir o texto. A linguagem tem que ser acessível a esse público, para que a matéria cumpra seu papel” diz. Para ele o grande desafio é colocar na matéria informações úteis ao leitor.

Nenhum comentário: