12 de nov de 2009

Jovens de Limeira aprendem valores com a prática do escotismo

por Leandro Tetzner Moller

O escotismo, em Limeira, abrange, principalmente, a área relacionada ao cuidado com o meio ambiente. As crianças e jovens que frequentam o Horto Florestal, local que mantém a sede do Grupo Tatuibí, aprendem a fazer o plantio de árvores, a cuidar do solo e a verificar se a natureza é respeitada.

Paulo Eduardo Ferreira, ex-chefe dos escoteiros, diz que, dentro dessas atividades, os escoteiros aprendem a ter espírito de equipe e a demonstrar liderança, que são fatores primordiais do escotismo.

Aos sábados, durante os encontros no período da tarde, são feitos o hasteamento da bandeira e o canto do Hino Nacional Brasileiro.

As crianças e os jovens que participam do escotismo têm entre sete e 21 anos. Acima desta idade, os jovens podem participar como voluntários dos grupos. O escotismo é o maior movimento de jovens do mundo. São 28 milhões de membros associados.

Criado pelo lorde Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, em 1907, o escotismo, ou escultismo, como também é chamado, foi primeiramente fundado na Inglaterra e tem sede em Genebra, na Suíça. O 51º Grupo Escoteiro Tatuibi, de Limeira, foi criado em 16 de outubro de 1982.

A escoteira-chefe, Francilene Polin, afirma que, no escotismo, as crianças aprenderem a respeitar o meio ambiente, a terem liderança e a saberem trabalhar em grupo. Com isso, desenvolvem um ótimo relacionamento social.

Nenhum comentário: