3 de dez de 2009

Por trás das câmeras

A preparação de um telejornal exige tempo e dedicação de uma equipe grande

por Gisele de Carvalho

Quem assiste a um telejornal não imagina que há uma grande equipe que trabalha muitas horas para que tudo possa sair perfeito. Fátima Bernardes é apresentadora do Telejornal de maior audiência hoje no Brasil, o Jornal Nacional. Fátima fala sobre a preparação do programa e o dia a dia dos editores, repórteres e apresentadores.

A maioria dos telespectadores não abre mão de assistir um telejornal todos os dias. Hoje, é grande a oferta desse tipo de programa pelas várias redes de televisão, mas está nas mãos do público a escolha de qual assistir.

O telespectador opta, principalmente, por aquele que passa maior credibilidade, por isso o programa deve ser preparado com muito cuidado e dedicação. As notícias são escolhidas por ordem de importância levando em consideração o interesse do público.

O Jornal Nacional vai ao ar de segunda à sexta-feira, às 8h15. Fátima conta que a preparação do jornal começa às 10h30, quando o editor chefe participa de uma vídeoconferência com produtores e editores das filiadas da Rede Globo espalhadas por todo o Brasil e também com os correspondentes em outros países.

Nesse encontro são apresentadas as sugestões de reportagens para o dia e serão escolhidas aquelas que vão fazer parte do Jornal Nacional. Ela diz que o objetivo é levar ao telespectador o que de mais importante acontecer no Brasil e no mundo todos os dias.

Depois da reunião, os produtores começam a montar os chamados espelhos, os roteiros do Jornal Nacional com a ordem e o tamanho com que cada reportagem vai ao ar. Mas, como existem notícias quentes e frias, muita coisa pode mudar até a hora do jornal ir ao ar.

Notícias quentes são as novidades, aquelas que aconteceram no dia, ou até mesmo durante o horário do jornal, e a matéria fria é aquela que estava prevista, uma reportagem de comportamento por exemplo.

Às 14h chegam os editores do JN, são 10 ao todo. O editor chefe apresenta a eles a previsão do dia e de que parte cada um vai cuidar. Logo após essa reunião os produtores trazem ao editor chefe as sugestões de pauta que vem do Brasil e do exterior. As que são aprovadas serão produzidas para ir ao ar nos próximos dias.

Enquanto isso, os repórteres estão nas ruas e, a partir das 17h30 da tarde, o trabalho deles começa a chegar na redação via satélite. “Os editores assistem a tudo para ver se algo precisa ser modificado e às 19h30 da noite é a fase mais tensa da preparação do JN, revisão dos textos e apuração das notícias de última hora.


Não é raro também algumas reportagens chegarem depois do horário previsto, obrigando os editores a correrem contra o tempo para que elas possam ir ao ar”, diz ela.

Nenhum comentário: