17 de set de 2009

Orquestra Pé de Moleque comemora 12 anos

por Diego Rodrigo dos Santos








Maestro Ednelson Silva e a Orquestra Pé de Moleque

A Orquestra Pé de Moleque, de Araras, prepara-se para comemorar, no próximo mês, 12 anos de existência. “Um repertório heterogêneo e inovador está sendo preparado, inclusive com apresentações vocais”, disse o maestro e regente, Ednelson da Silva.

Sob as cordas do violoncelo, do violino e da viola, a Orquestra Pé de Moleque agrega pessoas de várias faixas etárias e desenvolve o talento musical de crianças, adolescentes e jovens carentes de Araras.

A orquestra surgiu em 1997, com a iniciativa do maestro Ednelson da Silva. A ideia era contemplar crianças e adolescentes carentes da zona leste de Araras, que constituem 75% da população da região periférica da cidade.

“Começamos com um coral e um violino, e os ensaios duravam o dia todo, porque os estudantes tinham que exercitar um de cada vez”, disse Silva. Nesse período, surgiu a ideia de levantar recursos com benfeitores e pais para a aquisição de instrumentos.

A primeira apresentação pública da orquestra foi no dia 12 de outubro daquele mesmo ano. Doze anos depois, muitos alunos já vivem da música. “São mais de 150 crianças formadas pelo projeto”, disse.

Atualmente, a orquestra é formada por 40 integrantes, entre crianças, adolescentes e jovens, que são alunos do maestro, e alguns adultos que participam das apresentações. “A orquestra conta com seis violoncelos, 14 violinos, sete violas, um saxofone tenor, dois trompetes, dois trombones, dois clarinetes, duas flautas, uma guitarra, violão, bateria e contrabaixo”, informou o maestro.

“É terapia tudo que envolve música”, afirmou Taelle Pereira da Silva, aluna da orquestra. A jovem saxofonista sempre gostou de música e teve vontade de aprender a tocar violoncelo e, por isso, entrou para o projeto. “No início, fiquei com receio de não conseguir acompanhar a banda, mas contei com a ajuda dos meus colegas”, disse.

Os ensaios são realizados no Casarão do Horto Florestal, localizado no Parque Tiradentes, às segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 17 horas. Os ensaios gerais são aos sábados.

A orquestra se apresenta em datas comemorativas especiais e cívicas da cidade, em eventos sociais e no comércio local. Segundo o maestro, a apresentação mais marcante foi com o maestro e pianista João Carlos Martins, no Teatro Estadual de Araras, no dia 16 de junho do ano passado.

“Quando o maestro João Carlos ficou sabendo da existência desse projeto sugeriu que a nossa orquestra tocasse com ele e enviou uma partitura com um arranjo próprio dele de sua música preferida, ‘Como é grande o meu amor por você’, e pediu a nossa participação”, relembra Silva.

No final, Martins acabou regendo a orquestra Pé de Moleque, que se apresentou diante de 400 pessoas. “E se não bastasse, ele convidou nossa aluna Franciele Moreira para encerrar com ele a apresentação de sua Orquestra Bachiana, com a música Ave Maria”, relatou o maestro Ednelson Silva.

O primeiro CD da orquestra, em comemoração aos seus dez anos de existência, foi gravado no Estúdio Mosh, em São Paulo, por Eduardo Kusdra, também responsável pela mixagem. O CD contêm 11 músicas, além de uma faixa bônus. Além disso, uma revista sobre a história da orquestra acompanha o CD.

Um comentário:

Anônimo disse...

Acabo de ser "apresentada" à Orquestra Pé de Moleque pela Rádio UOL. Uma fantástica versão de Asa Branca. Emocionante.Fantástico. Não tenho mais palavras.

Att. Antonio-Alberto Cortez
Natal-RN