24 de set de 2009

Limeira registra queda de casos de dengue

por Gisele Carvalho

Neste ano, o número de casos de dengue é menor do que o esperado em Limeira. Segundo o diretor do Centro de Zoonoses, Paulo Baraldi, a conscientização das pessoas e fortes campanhas sobre o tema contribuíram para essa diminuição. “Por causa das chuvas e da imigração de pessoas, realmente, esperávamos um número maior de casos”.

Baraldi explica também que as atividades de inspeções diminuem nessa época do ano, “porque um número grande de fiscais estão empenhados na campanha de vacinação antirrábica e não podem dar a devida atenção à dengue”.

Nos últimos dez anos, Limeira teve mil casos da doença, 850 dos quais, do surto que houve em 2002. Neste ano, apenas 13 casos foram registrados até setembro.

A conscientização da população é fundamental combater o problema. A dona de casa, Inoemi Pereira diz que mantém pratos debaixo de suas plantas com areia e evita deixar garrafas plásticas sem tampa. Já as garrafas de vidro ela prefere guardar de cabeça para baixo e a caixa d’água fica sempre tampada e é limpa periodicamente.

Segundo a dona de casa, o projeto “Só Cacareco” ajuda a não acumular objetos que poderiam servir de criadouros. Trata-se de um caminhão da prefeitura que recolhe coisas que não se usam mais, como móveis velhos, garrafas e pneus. “Fico sempre atenta ao dia em que o caminhão vai passar. Assim, não deixo no quintal nada que possa acumular água”, diz Inoemi.

Sintomas:
Geralmente, inicia de uma hora para outra e dura entre 5 e 7 dias. A pessoa infectada tem febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças), entre outros.

Cuidados contra a dengue:
* Não guarde pneus velhos ou qualquer outro objeto que possa acumular água.
* Lave sempre as vasilhas de água de seu cachorro ou gato, e também os bebedouros dos passarinhos
* Coloque areia nos pratinhos das plantas e xaxins, ou borra de café (aquele pozinho que fica no coador). A borra impede o desenvolvimento das larvas.
* Ao jogar a água fora dos pratinhos das plantas, lave-os bem. Os ovos podem ficar escondidos, só esperando uma chuvinha.
* Se você tem bromélias no jardim, cuidado. O formato das folhas faz com que acumulem água. Fique de olho nelas, mantenha as plantas secas, ou jogue borra de café na base das folhas.
* Nunca deixar caixas d'água, latões de lixo e outros "berços de mosquisto" sem tampa.
* Se estiver em algum lugar com muito mato, ou perto de algum foco conhecido do mosquito, lembre-se de usar repelente.


(Fonte: Centro de Zoonoses de Limeira)

Nenhum comentário: