17 de mar de 2011

Grupo de alunos do curso de química do Isca-Faculdades investiga sobre afluentes de Limeira e detecta pontos de contaminação nas bacias do Ribeirão Pinhal.

Estudo de monitoramento de metais pesados nas bacias foi publicado na Revista Saneamento Ambiental

Cíntia Ferreira

Numa época de impactantes tragédias naturais, em que o meio ambiente é vítima de degradações, e o aquecimento solar passando das fronteiras dos horários permitidos ao “banho de sol”, há pesquisas que pretendem desvendar as raízes desses problemas. Alunos do curso de química do Isca-Faculdades, trouxeram na pesquisa de monitoramento de metais pesados nas bacias da região de Limeira, apurações sobre a contaminação das águas e levantamento das possíveis causas. Por meio de um trabalho de monitoramento dos mananciais do Ribeirão Pinhal, ambos localizados na Bacia dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, da onde é captada água para consumo na cidade de Limeira, foi diagnosticado afluentes com níveis de contaminação de metais pesados.

A pesquisa foi sintetizada em artigo científico e publicada na Revista Saneamento Ambiental, renomada na área ambiental. Além da publicação, o trabalho desempenha importante suporte investigativo para o meio ambiente na região. 

O trabalho acadêmico foi realizado pelos alunos: Amanda Ferreira da Silva, Laís Dario, Laís Peixoto Rosado, Samuel Zanatta e Sérgio Delbianco Filho e acompanhado pela coordenadora do curso de química Gislaine Aparecida Barana Delbianco, a pesquisa também contou com o patrocínio de estudos e projetos do comitê do da Bacia Hidrográfica dos Rios Piracicaba, Capivari e Jaguar, o PCJ, por meio do qual conseguiram equipamentos para análise, de duração de um ano. E os alunos participantes tiveram bolsas de estudo em parceria com a prefeitura de Limeira. A metodologia de estudo de monitoramento investigou doze pontos distribuídos ao longo dos cursos d’água, e avaliou os parâmetros físico-químico, inclusive de metais pesados, identificando ao longo de um ano, níveis com valores irregulares, segundo os parâmetros da legislação atual. 

Segundo a coordenadora Gislaine o estudo é pioneiro, e apontou que a Bacia do Ribeirão Pinhal sofre contaminação em alguns trechos. “Ainda não sabemos como vai repercutir a notícia e nem se algo será feito por meio das autoridades, pois estamos divulgando agora o nosso trabalho”. 

A equipe pretende voltar ao local em três anos para verificar a situação das bacias e se algo foi realizado em relação às denuncias.

            Revista Saneamento Ambiental

Sobre a publicação na revista Saneamento Ambiental, a coordenadora Gislaine se diz emocionada. “Ouve-se muito sobre esse tipo de pesquisa em grandes universidades, mas em faculdades como a nossa, isso não é comum. Então é muito satisfatório para mim como coordenadora e professora do curso” afirma.

A seleção dos alunos-pesquisadores foi feita através de processo seletivo. A química recém-formada Laís Dario, diz que ver o trabalho exposto é muito gratificante. “Este artigo publicado veio pra selar o trabalho realizado em favor da bacia de abastecimento de água de Limeira. Não só eu como todos os envolvidos neste projeto, ficamos felizes e honrados pela aceitação e publicação em uma revista renomada do ramo ambiental, isto conta muito em nosso currículo, principalmente quem almeja seguir no ramo acadêmico.”

Nenhum comentário: